A história da linguagem de programação (Parte 1)

Óleo vazado no Nordeste chega ao Rio de Janeiro: entenda
11/27/2019
COP25: “Hora da Ação” contra as mudanças climáticas
12/02/2019

A história da linguagem de programação (Parte 1)

Por Daisy Albuquerque e Sérgio Cardoso

História da linguagem de programação

No início da computação, as linguagens de programação usavam uma sintaxe muito próxima à linguagem de máquina. Elas eram empregadas nos processadores, sendo diferentes das linguagens que são utilizadas nos computadores atuais (e que, de certa forma, podem ser consideradas mais “amigáveis”).

O emprego da linguagem de programação deve-se ao fato que todo tipo de software precisa ter passado por um processo de programação para existir. É nesse processo que o programador informa as tarefas que o hardware (computador) terá que realizar para apresentar o resultado esperado após o processamento, que é normalmente apresentado na tela de vídeo.

A história da linguagem de programação está intimamente ligada à história dos computadores. Todas as linguagens foram criadas justamente para que o homem pudesse, por meio das máquinas, usar sequências lógicas para resolver um problema.

Os primeiros programadores da história

Ada Lovelace

Entre 1842 e 1843, surgiu a primeira programadora da história: a inglesa Ada Augusta Byron King (1815-1852) ou simplesmente Ada Lovelace (nome da província que morava). Matemática e escritora, escreveu o primeiro algoritmo do mundo que funcionou em uma máquina. Ada era filha do famoso poeta inglês Lord Byron, e teve como mentor Augustus de Morgan, um matemático também inglês. Ela auxiliou o matemático Charles Babbage na criação de sua máquina analítica.

Ada Lovelace, a primeira programadora da história.

Charles Babbage

Charles Babbage (1791-1871) foi um dos pioneiros na criação dos computadores e propôs, em 1822, na cidade de Londres, um projeto de uma máquina de madeira e latão que poderia realizar vários cálculos, baseada nos cartões perfurados do tear mecânico.

Lovelace traduziu e expandiu uma descrição da máquina analítica de Charles Babbage, e escreveu um programa que poderia funcionar nela. Curiosamente, a máquina analítica de Babbage é considerada também como o ponto de partida para os computadores que conhecemos atualmente.

Joseph-Marie Jacquard

Na história da programação, é importante mencionar também o francês Joseph-Marie Jacquard (1752-1834), que, em 1801, criou uma máquina que poderia substituir o homem, o tear de Jacquard. Essa máquina funcionava por meio de um programa que indicava quais fios do tear poderiam passar por cima ou por baixo, para que o trançado pudesse ser criado. Esses programas eram cartões perfurados que continham instruções do modelo que deveria ser produzido. Muitos dizem que Jacquard é o pai da programação, embora Ada Lovelace tenha escrito o primeiro programa para a máquina de Babbage.

O tear de Jacquard, que revolucionou a indústria têxtil.

Herman Hollerith

Outro mestre foi o estatístico norte-americano Herman Hollerith (1860-1929), que, mais tarde, se tornaria um dos fundadores da IBM. Em 1890, ele trabalhava na coleta de dados para o censo americano. Nessa função, percebeu que seu trabalho acabaria se tornando uma completa perda de tempo na contagem dos dados obtidos, pois todas as informações eram anotadas e, posteriormente, teriam que ser contadas uma a uma, de forma robusta e muito demorada.

Inspirado no tear de Jacquad, que usava cartões perfurados para operar a máquina, Hollerith resolveu criar um padrão que seria capaz de armazenar resultados em uma máquina de acordo com os furos em um cartão de papel. Com a máquina de Hollerith, os dados do censo – que antes eram divulgados em três anos – passaram a ser apresentados em um ano.

Hollerith é considerado o “pai” do processamento de dados.

Linguagens de programação

Já com o advento dos primeiros computadores, havia uma necessidade de programar as atividades que as máquinas iriam realizar. Para que as tarefas fossem programadas, era necessário mexer em componentes eletrônicos, uma tarefa complexa e limitada.

Com o objetivo de facilitar a programação das tarefas que os computadores iriam realizar, foram desenvolvidas as linguagens de programação. As primeiras linguagens eram baseadas nas linguagens de máquina. Os programas eram escritos em código de máquina, sequências binárias como 0001101010101. Esse tipo de linguagem não é tão amigável para se trabalhar, portanto, ao longo dos anos foram, surgindo outras linguagens que pudessem facilitar a tarefa de instruir ao computador as tarefas que eles deveriam desenvolver.

Principais linguagens de programação

As linguagens que mais conhecemos, e que estudamos nas universidades, são as chamadas linguagens de alto nível, como C, C++, Pascal, Java, PHP, Python etc. Essas linguagens são mais próximas da compreensão do homem, que, dependendo de sua sintaxe, fazem determinadas ações só por comandos como o printf (que vem de “print formatted“) da linguagem C++, em que você insere uma mensagem na tela para o usuário.

Gostou do tema? Fique ligado na continuação!

Conheça o Curso de Introdução à Computação em Videoaulas

Gostou de saber mais sobre a história da linguagem de programação? Os professores Daisy Albuquerque e Sérgio Cardoso ministram o Curso de Introdução à Computação em Videoaulas, que apresenta os conteúdos essenciais de Computação para preparar os estudantes de graduação em Engenharia ou áreas de Ciências Exatas que vão cursar a disciplina. O objetivo é revisar e consolidar os conhecimentos e facilitar a aprendizagem. Saiba tudo sobre o curso aqui!

Daisy Cristine Albuquerque da Silva
Daisy Cristine Albuquerque da Silva
Possui graduação em Ciências da Computação pela Universidade Estadual do Ceará (UECE - 1997). Especialização em Segurança da Informação pela Universidade Politécnica de Madri (2008). Mestrado em Sistemas e Computação pelo Instituto Militar de Engenharia (IME - 2016). Atualmente é Chefe da Seção de Desenvolvimento do Departamento de Educação e Cultura do Exército (DECEx) e Professora do Centro Universitário Carioca. Tem experiência na área de Ciência da Computação, com ênfase em Sistemas de Computação, atuando principalmente em Engenharia de Software, Segurança da Informação, Aprendizado de Máquina, Guerra Cibernética e Detecção de botnet.

2 Comments

  1. Avatar Andreia Leandro disse:

    Parabéns Sérgio muito interessante e claro o texto para nós leigos no assunto ! Bem bacana!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *