A importância da calibração dos instrumentos de medição

COP25: saiba tudo sobre energias renováveis e alternativas
12/03/2019
Pisa 2018: Brasil tem resultado ruim em Matemática e Ciências
12/03/2019

A importância da calibração dos instrumentos de medição

Por Alexandre Mendes e Pedro Paulo N. Rosário

O conceito de calibração, de acordo com o Vocabulário Internacional de Metrologia (VIM, 2012), é:

“Operação que estabelece, sob condições especificadas, numa primeira etapa, uma relação entre os valores e as incertezas de medição fornecida por padrões e as indicações correspondentes com as incertezas associadas; numa segunda etapa, utiliza esta informação para estabelecer uma relação visando a obtenção de um resultado de medição a partir de uma indicação.”

Diz ainda a definição que:

“NOTA 1: Uma calibração pode ser expressa por meio de uma declaração, uma função de calibração, um diagrama de calibração, uma curva de calibração ou uma tabela de calibração. Em alguns casos, pode consistir de uma correção aditiva ou multiplicativa da indicação com uma incerteza de medição associada.

NOTA 2: Convém não confundir a calibração com o ajuste de um sistema de medição, frequentemente denominado de maneira imprópria “autocalibração”, nem com a verificação da calibração.

NOTA 3: Frequentemente, apenas a primeira etapa na definição acima é entendida como sendo calibração.”

Resumidamente, o resultado de uma calibração é a comparação entre as leituras de um instrumento de medição e os valores indicados pelo padrão.

O que é “calibrar um instrumento”?

Alguns acham, erroneamente, que calibrar seria consertar um instrumento, quando, na verdade, calibrar é o ato de confrontar o comportamento metrológico de um instrumento de medição com um padrão de referência.

Por desconhecimento do conceito, muitos profissionais pensam não ser necessário calibrar um equipamento novo, recém-adquirido, por considerar que ele está em perfeito estado de uso.

Ora, o equipamento pode estar em perfeito estado, mas sem a calibração não saberemos as suas reais características metrológicas, tais como seu erro e sua incerteza de medição, sua tendência instrumental, sua histerese, sua linearidade, entre outras. 

Certificado de calibração

Todo certificado de calibração deve informar a incerteza de medição do instrumento calibrado. Com base na sua incerteza de medição, devemos analisar se o instrumento está apto a ser utilizado para a função requerida.

Não devemos usar o termo aferição quando nos referirmos à calibração. Com a padronização da metrologia e suas normas, o termo aferição – sem equivalente no resto do mundo – passou a ser desconsiderado. O termo aferição está em desuso, não mais constando no Vocabulário Internacional de Metrologia e, portanto, não deve ser empregado.

Quando calibrar um instrumento?

Concluímos afirmando que o instrumento de medição deve sempre ser calibrado nas seguintes situações:

  •  Antes do seu uso inicial.
  • Após um ajuste, intervenção ou manutenção.
  •  Durante o uso, em intervalos preestabelecidos.

Para saber mais sobre o tema “calibração”, conheça o livro Metrologia e Incerteza de Medição: Conceitos e Aplicações, que já está disponível.

Alexandre Mendes
Alexandre Mendes
Licenciado em Física pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mestre em Metrologia e doutor em Engenharia Mecânica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). É professor titular de Metrologia no Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ). Em 2000, implementa e coordena o curso técnico de Metrologia do IFRJ, hoje oferecido pelo campus Volta Redonda. Diretor de implementação do campus Volta Redonda (2008); diretor-geral do campus Volta Redonda no período de 2008-2014. Tem experiência na área de Física e Metrologia, com ênfase em: Cálculo de Incerteza; Calibração e Instrumentação Industrial; Física Experimental; Ensino de Física e Qualificação Profissional. É autor dos livros: A Física no Parque, em coautoria com o Prof. Henrique Lins Barros, Metrologia e Incerteza de Medição, em coautoria com o Prof. Pedro Paulo N. Rosário, e Termos e Expressões de Metrologia Aplicáveis ao Ambiente da Saúde, Documento Orientativo – Sociedade Brasileira de Metrologia (SBM). Vice-Presidente da Sociedade Brasileira de Metrologia nos biênios 2010-2012, 2012-2014, 2014-2016 e 2016-2018. Atualmente ocupa a presidência do Conselho Deliberativo da SBM.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *