Apple I e a revolução do computador pessoal

programador iniciante
5 erros mais comuns de um(a) programador(a)!
07/23/2020
contenção com uro de arrimo
Emprego de fundações em obras de contenção
08/04/2020

Apple I e a revolução do computador pessoal

loja da apple

É provável que haja poucas pessoas no globo que nunca ouviram falar da Apple Computers Inc., empresa que dispensa apresentações. Fundada em 1º de abril de 1976 pelos amigos Steve Jobs e Steve Wozniak, começou com muitos projetos e nenhum dinheiro.

Apple – um pouco de história

Para tirar a empresa do papel, Steve Jobs vendeu uma van, enquanto Steve Wozniak se desfez de uma calculadora HP. Com o dinheiro, começaram a construção das placas de computador.

Havia também Ronald Wayne, o terceiro sócio e responsável por desenhar o primeiro o logo, que vendeu seus 10% na sociedade por 800 dólares duas semanas depois da fundação, com medo de que a empresa falisse rapidamente.

O primeiro logo da Apple exibe Isaac Newton sentado sob a famosa macieira.

Apple e a inspiração para o nome

O nome Apple, acredita-se, não surgiu com base em nenhuma motivação especial. Apenas soava bem e os sócios não conseguiram pensar em um nome melhor.

Uma teoria mais interessante diz que escolheram esse nome porque Jobs tinha boas lembranças de um verão em que trabalhou em uma fazenda de maçãs e também porque Apple vinha alfabeticamente antes de Atari na lista telefônica. Na época, a Atari seria uma importante rival de mercado da Apple.

Apple I, o primeiro computador pessoal

Steve Jobs e Steve Wozniak concluíram em 1976 o projeto de um microcomputador que ficou conhecido como Apple I. Esse é considerado o primeiro computador do mundo para uso pessoal.

O projeto, todavia, começou um ano antes com Wozniak, quando ele frequentou o Homebrew Computer Club (HCC), um grupo que reunia jovens do Vale do Silício interessados em debater como seria possível construir computadores pessoais.

Seu objetivo era ter uma máquina pessoal a qual o usuário pudesse simplesmente ligar e começar a programar, sem burocracia. Ele tinha uma máquina com essas características em seu emprego na Hewlett-Packard, mas o computador custava 10 mil dólares e isso o colocava fora da esfera dos computadores pessoais.

Apaixonado pela ideia de uma pessoa poder ter seu próprio computador, Wozniak já havia projetado mais de 50 modelos de computador desde a adolescência. Nenhum deles saiu do papel por falta de dinheiro.

Microprocessador MOS 6502

Inicialmente, o desenvolvimento do Apple I emperrou porque microprocessadores disponíveis na época, o Intel 8080 e o Motorola 6800, custavam centenas de dólares. Foi apenas com o lançamento do processador MOS 6502 a 25 dólares que o projeto deslanchou.

Wozniak, então, conseguiu completar o protótipo do computador, soldou a placa a uma pequena TV que e levou-o à reunião do HCC, onde reencontrou seu velho amigo Steve Jobs, que se interessou em vender o projeto. Concomitantemente, Wozniak também havia desenvolvido um interpretador BASIC para o computador.

Conheça o Apple I. Inicialmente, o computador não teria teclado nem gabinete.
O teclado e gabinete de madeira mostrados na fotografia possivelmente foram adicionados pelo seu dono.

O primeiro negócio

Para começar o negócio, Jobs procurou uma loja de computadores, a The Byte Shop, que se interessou pelo projeto do Apple I. Havia uma vantagem em relação aos demais microcomputadores da época: podia ser conectado a uma TV comum que funcionaria como monitor de vídeo.

A loja foi fundada por Paul Terrell em 1975 na cidade de Mountain View, Califórnia.
Ficou conhecida por ser uma das primeiras a vender computadores para uso pessoal.

Outros microcomputadores apenas acendiam luzes no painel ou, no máximo, com um custo muitas vezes proibitivo, conseguiam perfurar fitas de papel.

Na negociação com a The Byte Shop, as partes acertaram que a loja compraria cinquenta computadores a 500 dólares cada, desde que Jobs os entregasse totalmente montados.

Para que isso fosse possível, Jobs procurou a empresa que venderia as peças, mas sem nenhum dinheiro em mãos. Sua única garantia era o pedido da The Byte Shop.

Inicialmente, a empresa quis saber como Jobs custearia os 20 mil dólares necessários, mas como a The Byte Shop confirmou o pedido, Jobs conseguiu fazer sua compra a crédito, com um prazo para pagar em 30 dias.

A partir de então, Jobs, Wozniak e uma pequena equipe passaram a trabalhar ininterruptamente para montar os 50 Apple I em 30 dias e entregá-los a tempo de pagar a dívida. Toda montagem foi feita em 12 dias. Além de receber os 25 mil dólares da The Byte Shop, conseguiram pagar os 20 mil dólares das peças e outras despesas.

No total, cerca de 200 Apple I foram fabricados em um período de 9 a 10 meses a partir de 1976. O Apple I era vendido por 666 dólares, um número que, por causa da Bíblia, muitas pessoas associaram com a “marca da besta” ou do demônio do Apocalipse. Como Jobs era ateu, isso provavelmente foi apenas uma brincadeira sem significado esotérico.


Gostou e quer saber mais? Indicamos a leitura do livro História da Computação, de Raul Wazlawick.

GEN Exatas
GEN Exatas
Editorial GEN Exatas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *