Dia nacional dos profissionais de Educação

contenção com uro de arrimo
Emprego de fundações em obras de contenção
08/04/2020
explosão em Beirute causado por nitrato de amônio
Comportamento explosivo do nitrato de amônio
08/10/2020

Dia nacional dos profissionais de Educação

Profissional da educação

Neste dia 6 de agosto, comemora-se o Dia Nacional dos Profissionais de Educação. Esta data comemorativa foi estabelecida no país pela Lei n.º 13.054 em 2014. A data faz referência à Lei n.º 12.014, de 2009, que alterou a Lei de Diretrizes e Bases da Educação de 2009, definindo quem são os profissionais da educação.

Atualmente, são considerados trabalhadores da educação, os seguintes profissionais: professores, pedagogos, trabalhadores com diploma técnico ou superior em áreas pedagógicas ou afins. É certo que já comemoramos o Dia do Professor em 15 de outubro, mas a data de 06 de agosto inclui os demais profissionais que colaboram para que as unidades educacionais funcionem.

Esta data comemorativa foi oportunamente estabelecida em Lei para fazer com que todos nós lembrássemos que o professor tem um papel central no processo de ensino escolar, mas para que este aconteça, há diversos outros trabalhadores que são essenciais: inspetores, merendeiras, secretárias! Como imaginar uma escola sem essas pessoas?

No entanto, o mais importante desta data é pensarmos a respeito de como se estrutura um processo educacional eficiente, que dê conta de realizar a transmissão de todos os conteúdos historicamente acumulados – fundamentais para qualquer sociedade – e, em paralelo, desenvolver habilidades socioemocionais e a conscientizar criticamente para que nossas crianças e jovens possam reconhecer e exigir seus direitos e conhecer e praticar seus deveres.

É certo que há diversos atores envolvidos nessa desafiante missão: governo, famílias, religiões, centros de lazer, enfim. A sociedade em geral, de uma forma ou de outra, está presente na educação de todos. A escola, com certeza, é o espaço educacional por excelência, porque a concretização do fazer educativo é sua missão e razão de existir.

Então, se cada um tem seu papel (em maior ou menor grau) no fazer educativo, aqueles que estão no espaço da escola parecem ter um papel de ainda mais destaque! Por isso, gostaria de dedicar algumas palavras a trabalhadores que considero essenciais:

  • Auxiliar de professor: é o profissional que apoia o professor em sala de aula, normalmente na educação infantil.
  • Inspetor escolar: cuida da disciplina e da segurança dos alunos, principalmente quando estão fora da sala de aula.
  • Secretário escolar: fornece apoio em todas as questões administrativas, como realização de matrículas e fornecimento de declarações.
  • Merendeira: responsável pela elaboração e oferta de alimentos para os alunos.

Muitas vezes, quando discutimos proposta de melhorias na educação, lembramos do professor por seu papel central. Mas, além de professores, diretores, coordenadores pedagógicos, orientadores educacionais, psicólogos e outros que trabalham diretamente com a questão cognitiva, não se pode esquecer dos demais profissionais que tornam o cotidiano de nossas escolas uma realidade.

Sabe-se que a alimentação tem influência direta na construção do conhecimento. Logo, a merendeira é essencial! Também é conhecida a capacidade de aventura das crianças e dos jovens. Por esta razão, seria impensável manter uma instituição escolar sem a figura do inspetor educacional. O mesmo vale para o secretário escolar, o auxiliar do professor e todos os demais.

Parabéns a todos os profissionais da educação! E sigamos juntos, na busca de melhores condições de trabalho para formarmos crianças e jovens que tornem o nosso planeta um lugar cada vez melhor para se viver!

Bruno Malheiros
Bruno Malheiros
É mestre em Administração pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), especialista em Psicopedagogia e Orientação Educacional pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e graduado em Pedagogia pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), onde também concluiu o curso de MBA em Gestão de Recursos Humanos. Atualmente, é coordenador pedagógico e professor de cursos de graduação e de pós-graduação em Educação na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), na Universidade Federal Fluminense (UFF) e na Escola Nacional de Administração Pública (ENAP). Sua pesquisa investiga, sobretudo, o desenvolvimento de competências e os processos de ensino-aprendizagem. É, ainda, autor de diversos livros na área de Educação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *