Bom planejamento e as incertezas na construção de obras civis

Malhas de Terra: Subestações de Potência e Aerogeradores (parte 3)
02/12/2021
A Nova Centralidade da Água e do Saneamento Pós Covid-19
03/16/2021

Bom planejamento e as incertezas na construção de obras civis

Neste artigo, Maurício Moreira e Silva Bernardes destaca que toda obra de construção civil está sujeita a incertezas. E a forma com a qual você irá encará-la poderá ser decisiva para obter bons resultados ao longo do processo de construção.


Como um bom planejamento pode lidar com as incertezas na construção de obras civis?

Lidar com o incerto, ou seja, com aquilo que não temos certeza, sempre foi, e continuará sendo, a essência do planejamento e controle da construção. Erra quem acha que um bom planejamento é algo similar a busca de se acertar um alvo com uma flecha.

Existem muitas incertezas no caminho desde que lançamos a flecha até o alvo. O vento pode mudar, o esportista pode perder o foco, o arco pode estar com algum defeito ainda não detectado, dentre outros.

O que acontece na construção civil é que, além desses condicionantes, o alvo em si também é móvel, pois ele muda de acordo com as circunstâncias do mercado. Então, um bom gerente de obras deve ter noção de que ele precisa ter um instrumento adequado para poder fazer com que se consiga acertar o alvo, ou chegar muito próximo a ele.

No caso, a melhor abstração para isso seria de um míssil teleguiado. O alvo muda de posição, mas o míssil muda também de acordo as informações que recebe do alvo.

As incertezas que envolvem nosso trabalho podem ser muito bem minimizadas com a utilização de elementos como instrumentos, técnicas, métodos e modelos de planejamento de obras mais adequados para lidar com elas.

Tais elementos trazem à tona, para o gestor da obra, visibilidade. Conseguimos enxergar coisas ao longo da construção que antes não víamos. A possibilidade de se ter mais visibilidade durante a construção, permite-nos antecipar ações essenciais para um bom planejamento de obras.

Conhecer esses elementos são importantes, mas compreender como eles podem ser implementados no dia a dia do gestor da obra é decisivo para sua boa aplicação.

Assim, compreenda muito bem o contexto da obra em si. Tente responder como cada elemento pode ser adaptado para o seu caso. Quais os instrumentos que me permitem a ter mais visibilidade?

E por fim, como e o quê aprenderei de sua aplicação? Afinal, lidar com as incertezas nesse meio é sobretudo buscar compreender suas causas, atuar sobre as mesmas e estar sempre se adaptando, com os meios disponíveis que você tem nas mãos.


Conheça a nova edição de “Planejamento e Controle da Produção para Empresas de Construção Civil“, celebrando 18 anos do lançamento no mercado!

Maurício Moreira e Silva Bernardes
Maurício Moreira e Silva Bernardes
Graduou-se em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), em 1993. Três anos depois, terminou o mestrado e, em 2001, finalizou o doutorado, ambos também em Engenharia Civil, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Especialista renomado na área de Gerenciamento das Construções, concluiu, em 2012, seu Pós-doutorado em Design pelo Institute of Design, do Illinois Institute of Technology (ID/IIT), nos Estados Unidos. Consultor ad-hoc da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Maurício Bernardes tem ampla experiência nas áreas de Design, Gestão de Projetos, Sistemas de Informações e Planejamento de Obras de Construção Civil. É, portanto, graças a essa sólida vivência, que atua junto a diversos profissionais e empresas para auxiliá-los na busca por um melhor planejamento e controle da produção (PCP). Atualmente, dedica-se à realização de cursos de PCP, além de lecionar na Faculdade de Arquitetura da UFRGS, onde é Professor Titular.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *