Projeto Minas Mulher: inclusão com apoio da tecnologia

Dia 8 de Novembro é comemorado o Dia do Urbanismo
11/08/2019
Fórmula 1 anuncia planos para ser totalmente sustentável até 2030
11/13/2019

Projeto Minas Mulher: inclusão com apoio da tecnologia

Tecnologia, empreendedorismo, finanças, carreira e inovação. Conheça o projeto do IFTM desenvolvido para capacitação de mulheres do Triângulo Mineiro.

“Sonho que se sonha junto se torna realidade.” Com essa frase em mente, Juliana Vilela Alves, professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro (IFTM), campus Uberlândia Centro, lançou em abril deste ano o projeto Minas Mulher. Seu desejo era oferecer a mulheres de Uberlândia, Minas Gerais, e regiões de periferia oportunidades de inclusão profissional por meio da educação.

O projeto oferece palestras, cursos, oficinas de capacitação sobre temas como finanças, inovação, tecnologia e empreendedorismo a mais de 200 mulheres, incluindo jovens da Educação Básica e pessoas que buscam qualificação para o mercado de trabalho.

Para atender corretamente às necessidades do seu público-alvo, todas as atividades são desenvolvidas com base em análises da realidade local e experiências reais. Atualmente, são 22 voluntárias (advogadas, professoras, pedagogas, publicitárias e empresárias) que compartilham suas trajetórias, erros e acertos com as participantes.

Projeto Minas Mulher com estudantes do Ensino Médio.

Oportunidade de empreender

Para as mulheres que buscam mais autonomia e renda própria, são oferecidos cursos e treinamentos específicos de empreendedorismo. Elas aprendem a montar um plano de negócios, analisar riscos e oportunidades. Ao final do programa, recebem um certificado de participação emitido pelo IFTM.

De acordo com Juliana Vilela, em breve será implementado o Lab Criativo, um espaço para troca de informações e oficinas para que as mulheres aprendam a utilizar os materiais que já possuem e criar produtos e serviços sustentáveis.

Educação de Qualidade e Igualdade de Gênero

O Minas Mulher foi desenvolvido com base em dois pilares principais: a Educação de Qualidade e a Igualdade de Gênero. Ambos se enquadram em dois dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) – ODS 4 para educação e ODS 5 para igualdade de gênero – criados pela ONU. Os 169 objetivos globais devem ser implementados em todos os países até 2030.

De Minas Gerais para a ONU

Reconhecido no Triângulo Mineiro, o projeto ganhou ainda mais projeção quando foi selecionado para ser apresentado na 68ª Conferência da ONU para a Sociedade Civil, nos Estados Unidos, este semestre. O tema foi “Construindo cidades e comunidades sustentáveis e inclusivas”, que faz parte da Agenda 2030 da ONU. 

No encontro, foi possível compartilhar experiências e trocar informações com pessoas de vários outros países. Durante o workshop do Minas Mulher, a equipe recebeu importantes feedbacks com ações que podem ser implementadas e trabalhadas conjuntamente. “Ademais, participamos de várias ações sobre os ODS 4 e 5 e aprendemos como alguns outros países têm feito essa aplicação na prática”, explicou Juliana Vilela.

Projeto Minas Mulher em encontro na ONU.

Bate-papo sobre o Minas Mulher

Para contar um pouco mais sobre o projeto Minas Mulher, conversamos com Juliana Vilela Alves. Confira a entrevista:

Juliana, fale um pouco sobre você e sua experiência profissional.

Sou mineira de Uberlândia. Além de professora, sou uma ativista da educação. Acredito que a internacionalização é um caminho para mudança e sou apaixonada por gestão. Sou graduada em Letras Português/Inglês, em administração de empresas e fiz mestrado em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Carrego sempre comigo uma frase: “Sonho que se sonha junto se torna realidade.” Com esse propósito em mente, desenvolvi o projeto Minas Mulher com o objetivo de contribuir para a transformação da realidade local de onde moro e do entorno. As ações são baseadas nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) 4 e 5 da ONU. Acredito que juntos somos mais fortes e que a mudança é possível.  

Como surgiu a ideia do projeto Minas Mulher?

A ideia do projeto surgiu a partir  de uma vontade interior de trazer melhor qualidade de vida para as pessoas por meio de ações educativas. Assim, se queremos ser agentes da mudança, precisamos começar a fazer algo que esteja ao nosso alcance. Desse modo, é necessário caminhar rumo ao que você acredita, que, no meu caso, é uma educação que seja transformadora na vida das pessoas.  

No que consiste o projeto e quais são os principais objetivos?

O projeto tem como objetivo geral promover a inclusão de meninas e mulheres, preferencialmente, por meio de iniciativas educacionais voltadas ao empreendedorismo, finanças, carreira, inovação, tecnologia, autonomia, inclusão, liderança e empoderamento. São executadas ações mensais em cinco instituições com ações específicas, como workshops e oficinas, com base nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU.

A base é usar a educação como transformação, certo? Como isso é feito na prática?

Isso! Na prática, organizamos oficinas e workshops que tratam dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável – Educação de Qualidade e Igualdade de Gênero – nas instituições envolvidas.

Vou exemplificar: com base no Objetivo 4.4 da ODS, o foco é aumentar substancialmente, até 2030, o número de jovens e adultos que tenham habilidades relevantes, incluindo competências técnicas e profissionais, para emprego, trabalho decente e empreendedorismo. Com essa ação, queremos promover a carreira e o protagonismo das envolvidas no projeto.

No caso das mulheres empreendedoras, convidamos especialistas das áreas em que elas estão envolvidas – corte, costura e bordados, culinária e artesanato – ou seja, convidamos pessoas que já estão com seus negócios estabilizados para explicar como é a trajetória para se chegar lá. Elas compartilham dificuldades, impasses, diferenciais e sucessos ao longo do processo.

Nesse viés, tratamos de plano de negócios – como pensar seu negócio – e como implementá-lo na prática com base em experiências reais. Assim, unimos os conceitos educacionais de negócios com experiências reais para que as participantes possam entender como unir teoria e prática.

Quem são as mulheres elegíveis para participar?

São critérios diferentes, pois não atendemos somente meninas. No caso do público-alvo de escolas de Ensino Fundamental e Médio, acordamos com as diretorias das escolas quem serão as participantes. No caso das mulheres empreendedoras, são aquelas que se interessaram pelo curso e se inscreveram.

Como é possível se voluntariar para o projeto?

É preciso ter experiência em algum dos temas que trabalhamos, disponibilidade para frequentar uma das instituições parceiras e participar das ações mensais, além das reuniões de grupo para planejamento.

O que é apresentado nos encontros com as mulheres? Qual a periodicidade que elas acontecem?

Temos um calendário de ações previstas para todo o ano com base nos ODS 4 e 5. Os encontros acontecem uma vez por mês.

Quais casos de sucesso vocês já tiveram desde a implementação do projeto?

Temos, por exemplo, uma voluntária do projeto que lançou uma marca de blusas e uma das nossas alunas é bordadeira do projeto. Uma aluna do Ensino Médio conseguiu uma cortesia para participar da Startup Weekend em Uberlândia. Essas ações dão acesso a oportunidades de qualificação e melhoria da qualidade de vida, que é um dos nossos objetivos.

Quais são os planos para 2020?

Aumentar o número de voluntárias e implementar o projeto em novas cidades e contextos. Além disso, renovar nossa iniciativa em parceria com o IFTM.

Para saber mais sobre o projeto, visite o Instagram @projetominasmulher ou acesse o site do IFTM.



GEN Exatas
GEN Exatas
Editorial GEN Exatas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *